Minha foto
Grupo de Jovens salvos pela graça do Senhor, que por mais que se diferenciem entre si, unem-se em único propósito, servir a Deus em espírito e em verdade.

PIERCING E TATUAGEM

  
Piercing e Tatoo... 
O que eu aprendo com a bíblia... 

Por Eber Góes

 
Preocupado com certos assuntos que permeiam as mentes de nossos jovens, quanto ao que pode e ao que não pode ser usado por um jovem cristão, veio-me a mente esse assunto que é tratado na base do "é assim e pronto" (talvez a justificativa mais usada no meio Cristão), o modismo que tem levado inúmeros jovens a confusão há alguns anos invadiu o interior dos "templos" e tem causado inúmeras dissenções no meio evangélico. Li vários textos em blogs, sites, uns defendendo, outros condenando, mas quem está com a razão?
Primeiro, eu tenho que procurar entender o que é o pecado. Pecado é a desobediência, o não cumprimento da vontade de Deus. É andar pelo caminho que não é, também, a verdade e a vida (João 14:6). Mas como saberei qual é a vontade de Deus? Resposta fácil, lendo a bíblia, orando, jejuando. O povo acostumou-se a pegar tudo pronto, não tem vontade em aprofundar os conhecimentos bíblicos por isso erra (Mateus 22:29). Tenho para mim a máxima de que Deus não trabalha com fôrmas, mas sim com formas, essas formas serão modeladas a luz de Cristo e não esculpidas grosseiramente por homens. Vemos hoje "clones" religiosos, cheios de dogmas e doutrinas e até, muitas vezes, conhecedores de citações bíblicas (os Nicodemos de hoje), mas que não conheceram a experiência do novo nascimento, apregoam a liberdade mas são escravos de doutrinas, alguns inclusive preferem se escravisar em "jaulas religiosas" do que disfrutar da liberdade adquirida em Jesus Cristo, liberdade essa que como diria Paulo não dá lugar a malícia, por isso não confunda essa minha afirmação como sendo uma permissividade mundana (estamos no mundo mas não pertencemos a ele, somos livres). Têm-se hoje aqueles que tentam resgatar um arcaísmo religioso e esquecem-se ou não sabem que a Lei e os profetas foram até João e que o que é pra ser anunciado é o reino do céus (Lucas 16:16), que com um vesículo apenas tentam lançar "verdades irrefutáveis", porém sem interpretação bíblica.
Dando continuidade ao nosso tema, me remeto a origem histórica do brinco, do piercing, da tatuagem para que depois possa estabelecer minha opinião sobre o tema.  Temos inúmeras versões, Grécia, Persia, piratas do Caribe, etc (Sugiro que procure na net). Devido a sua origem incerta, procuro ver em qual contexto se inseria nas versões apresentadas. Quando procuro saber se uma coisa me convém (1 Cor 6:12) é pra que tenha a certeza do terei totla domíno sobre minha decisão, e não ao contrário,  tenho que primeiro saber sua origem, com que intuito foi criada. Os adornos usados em mulheres nos tempos antigos tinha inúmeros significados, variando conforme a região, ou seja era cultural. nos homens traz consigo uma simbologia, dependendo da região, por vezes, ligada a rebeldia, por outras ao homossexualismo e ao misticismo (Duvida? investigue!). Uma coisa é certa, com o avanço da tecnlogia de informação, os costumes e tradições de povos não encontram fronteiras para a sua divulgação. As pessoas vêem algo em uma cultura qualquer, acham aquilo bonito e imitam, sem sequer procurar as origens, o que representa. Fica a pergunta pra você: Mas e o Cristão deve imitar a quem? (1 Cor 11:1). Muitos homens usam brincos porque viram outro usando e acham "estiloso", assim aderem a moda sem saber as origens do uso do brinco por homens. Irmãos, cuidado com o "nada haver" "isso é normal", "pense numa coisinha que faz crente se dar mal", como diria a letra de uma música de um grupo evangélico por nome de Xote Santo.
A tatuagem é um tópico bastante discutido no meio Cristão. Nas suas origens, as marcas no corpo advém de povos politeístas, ou seja, povos que adoravam a vários deuses, e na maioria das vezes eram feitas relacionadas a rituais místicos. Mais a frente, vários grupos anárquicos utilizavam-se de tatuagens para demonstrar sua rebeldia (Duvida? Investigue). Sua origem e sua utilização ao longo da história, por si só já são corrompidas, mas então o que dizer de um a pessoa que tem tatuagens, que aceitou a Cristo e que tem uma vida transformada? Se houve nascimento, eis que tudo (interiormente) se fez novo, as coisas velhas já passaram (2 Cor 5:17), não há motivos para culpa pois fomos lavados pelo sangue do Cordeiro, entretanto nossa conduta é transformada, se a partir do momento da conversão eu tenho que viver para glória de Deus: "quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus, então, vem a pergunta: Essa pessoa vai querer fazer outra tatoo? É para glória de Deus ou é só um modismo mundano? Nos presídios, por exemplo, em presídios a grande maioria dos presos possuem tatuagem, por exemplo: uma cruz tatuada nas costas de um homem livre, pode não significar nada para o mesmo, mas dentro do presídio, gravado nas costas de um presidiário, significa que ele é um homicida. Então percebo que há uma aparência com o que é mal, então devo me abster disso, ou seja, evitá-lo (1 Tessalonicenses 5:22). É perfeitamente compreensível a questão daquele que já tinha e se converte, mas na minha simples opinião e o que aconselho ao povo de Cristo é que evite nesse modismo, principalmente pela questão da consciência e do escândalo, tratados claramente pelo Apostolo Paulo na primeira carta a Igreja de Corinto. Creio completamente que com tatuagem ou não uma pessoa que foi salva por Cristo é uma nova criatura, transformada, regenerada e que vai ser usada na obra de Deus. As pessoas que tinham e que se converteram carregam essas marcas simbolicamente como testemunho pessoal, mas os Cristãos que já estão salvos não devem imitar o  "retrato" do velho homem, mas espelhar-se na transformação dado pelo Espírito Santo à conduta daquela vida. 
Sendo assim,  NÃO JULGO NÍNGUEM, apenas PROCURO ANALISAR à luz da Bíblia esses fatos rotineiros da nossa vida Cristã.  
E VOCÊ TEM O QUÊ A ME DIZER?
Postem seus comentários, para que possamos debater e aprendermos mais. 

Fiquem na paz do nosso Senhor!


6 comentários:

  1. Muito bom! "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém, todas as coisas me são lícitas mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas." (I Co 6:12)

    alysonbp

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz, sempre!

    Passei por aqui para conhecer seu blog.
    Estou procurando bons blogs para compartilhar.

    Já estou te seguindo.

    Ficaria muito feliz se puder visitar O REINO EM NÓS.
    Se quiser me seguir também será um prazer para mim.

    Abraço em Cristo,

    Sandro
    http://oreinoemnos.blogspot.com/
    Te espero lá.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal Éber. Blog bem diversificado, template maravilhoso e temas atuais. Parabéns!

    Quanto ao uso de piercing e tatoos, penso de outra maneira. Bem, vc já deve ter lido o texto que postei em meu blog a respeito da liberdade cristã, e lá, além de colocar os príncípios que julgo bíblicos para a questão, exemplifico o uso da liberdade com a música.

    Do mesmo modo, susento que absolutamente nada em si mesmo é pecaminoso - e aí se incluem piercings e tatoos - pois o pecado é uma questão de como nós utilizamos as coisas (é o que sai e não o que entra o que nos contamina, lembra? cf. Mt 15.11). Assim, o que de fato torna qualquer coisa pecado é a maneira como a usamos. Paulo recomenda o vinho a Timóteo (1Tm 5.23) mas sabe que este pode causar embriaguês (Ef 5.18). Cumpre a nós o bom uso de tudo, porque "todas as coisas nos são lícitas" (1Co 10.23)
    Alguém completaria "mas nem tudo covém", e eu digo: é verdade! Por isso, apesar de crer que não é pecado usar piercings e tatoos, sei também que minha liberdade é limitada por dois fatores: 1. não posso prejudicar-me através do uso dela - como a embriaguês pela bebida, o cancêr causado pelo cigarro e a cara desfigurada por piercings e tatoos dos nossos amigos das fotos. Fica claro nestes casos que houve um excesso e mau uso da liberdade. 2. não posso prejudicar outros cristãos através do uso dela (1Co 8.8-13)- liberdade é sinônimo de maturidade, e o nosso meio evangélico é extremamente plural para que cada um de nós utilize sua liberdade de forma plena. Como vc citou, aluns preferem viver nas "gaiolas da religiosidade". Assim, devemos ter cuidado com as pessoas menos maduras na fé e restringir o uso de nossa liberdade, enquanto, ao mesmo tempo, os ajudamos a crescer na fé (1Ts 5.14).

    De qualquer forma, a liberdade permanece um desafio pra nós como Igreja de Cristo, e só dela desfrutaremos por completo no céu.

    Deus te abençõe sempre!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do seu comentário Herisson. Como você bem explanou sobre a pluralidade do meio Cristão, aconselho pelo não uso devido a essa pluralidade, como o Apostolo Paulo escreveu, devemos evitar escandalizar o nosso irmão, principalmente por ele ser fraco, fraqueza essa se formos analizar contextualmente, se dá pelo fato da recém conversão, ou então pela ausência do conhecimeto da liberdade em Cristo, que em muitos casos ocorre inclusive com irmãos que têm muitos anos "de serviço".
    Alguns talvez me chamem de extremista pelo exemplo que irei citar e com a analogia que irei fazer, mas não vou passar um molde de conduta (só Jesus Cristo deve ser o nosso molde). Jesus quando expulsou os "comerciantes" do templo, muito mais que mostrar que a Casa do Senhor não é lugar de comércio, barganha (coisa que, infelizmente, vemos de uma maneira mascarada hoje e com uma frequência que nos assusta), mas Ele passou algo mais quando leio aqueles versículos, o zelo com o templo do Senhor, não dá pra agradar aos homens, imagino quantas pessoas viam aquela situação e nada faziam, aquele fato tinha se tornado normal aos olhos deles. quando eu li: "Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? (1 Cor 6:19). Penso, que similarmente devemos ter um zelo redobrado sobre nossos corpos, não destruindo com glutonarias, bebedices, drogas e até mesmo com o sedentarismo. Penso também que não devemos "pichar" o templo do Espirito Santo, mesmo sabendo que para alguns isso é normal, eu sei que para outros não é aceito. Reitero a parte em que digo "oriento", no sentido de não aconselho, porque acredito que pela aparência, pela similaridade com o que é mal, mesmo que não tenha sido feito com esse propósito, devemos nos abster de fazer, como bem o herisson escreveu, temos que ter na mente o: "nem tudo me convém", sabendo que o que contamina o homem é o que sai dele.(Mt 15:11).

    Aguardo mais comentários dos meus irmãos para que possamos discutir e aprendermos mais.

    Deus os abençoe!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Inicialmente, tem-se que esclarecer que Paulo recomendou vinho como medicamento para a cura de enfermidades e não para um momento de sociabilidade entre amigos, ou mesmo de introspecção. Ao afirmar em Efésios que não é digno de um cristão o embriagar-se, mas se encher do Espírito Santo de Deus, ele demonstra explicitamente que não se deve ingerir bebida alcoólica. Como Cristo transformou água em vinho - suco de uva - não fermentado, crê-se que Paulo falava do suco de uva e não do vinho numa concepção ocidental. Naquela época tanto o suco fermentado quanto o sem fermentação eram denominados como vinhos. Mas, o fundamental é que seja vinho ou suco de uva foi para fins curativos, portanto, quem ingere vinho ou outra bebida alcoólica erra o alvo, Cristo, peca contra Deus.

    Observe-se por outro aspecto, pela dependência química. Sinteticamente, entende-se que a dependência química caracteriza-se por uma predisposição física e psicológica de cada indivíduo à determinada substância química. Qualquer indivíduo poderá desenvolver dependência química do álcool, maconha, cocaína, e outras drogas, sendo suficiente para isto, experimentá-las eventualmente, mesmo em pequenas doses, até desenvolver, para alguns rapidamente, a maldita dependência. Ninguém jamais poderá afirmar com absoluta certeza, que não desenvolverá uma dependência química até ter experimentado uma substância qualquer. Se nas igrejas fosse dado o vinho na Ceia do Senhor ao invés do suco de uva, com certeza já se teria alguns dependentes químicos. Assim, pode-se inferir que o indivíduo que bebe pela primeira vez está pagando o risco em se tornar um alcoólico, e o crente a se tornar um perdido. Ainda acreditam que não é pecado?

    Quanto à questão dos piercings e tatoos, observe-se:os primeiros em sua maioria são aplicados em locais compostos por cartilagem diferentemente dos brincos, causando assim uma série de problemas que vão desde infecções simples até a formação de quelóides, cicatrizes horríves e irreversíveis, podendo ocorrer a necessidade, inclusive, de cirurgia para a retirada da parte da orelha, nariz, língua, etc. Importante salientar que aqueles indivíduos que nunca tiveram problemas com estes acessórios, não os impedem de vir a tê-los, mesmo após décadas. Já as tatuagens menos problemáticas do ponto de vista físico, causam problemas psicológicos, como o arrependimento pós a sua realização, além de uma "síndrome" da segunda, terceira, e por conseguinte de outras que hão de surgir naqueles que se identificam com elas, tornando-se indivíduos compulsivos.

    Ambas inserções na pele são realizadas em estúdios e por pessoas ligadas diretamente a rituais pagãos como os cabalísticos, espíritas, astrológicos, filosóficos, umbandistas, outros são rockeiros, ateus, agnósticos, etc.

    "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." (II Coríntios 5 : 17)É novidade de vida, se se prostituía, agora não mais, se furtava, ou se se drogava, ou fazia tatuagens e colocação de piercings, não faz mais. Como então imaginar um crente que nunca participou de tais comportamentos, passar a tê-los? Usar tatuagens,piercings,beber socialmente sem se embriagar é pecado sim.

    ResponderExcluir
  6. Dando continuidade ao texto postado anteriormente...

    Incrível perceber como pessoas do meio cristão passam a compreender a Bíblia numa concepção subjetivista levando a uma relatividade religiosa. ISTO É MENTIRA! Não se deixe enganar por tais concepções, é por elas que o mundo cristão sofre os escândalos atuais.

    Quando Paulo diz que todas as coisas lhe são lícitas, mas nem todas lhe convém, ele não afirma que se pode tudo desde que com medida. NÃO! Ele afirma que tudo é permitido, mas o cristão - PARECIDO COM CRISTO - não deverá fazê-las justamente por parecer com o Mestre. Lembrais do livre arbítrio? tudo é lícito,tudo pode ser feito, todo pecado pode ser cometido, mas o crente verdadeiro lavado no sangue de Cristo anda seguindo os seus passos."Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus." (I Coríntios 10 : 31)Não há glória de Deus no que foi aqui discutido.

    Pecado não é uma questão de como utilizamos as coisas não, como foi colocado pelo Herisson. Se for assim, relativiza-se o pecado, e ele dependerá da forma como é praticado, a intensidade é que o definirá. ABSURDO! LOUCURA! MENTIRA! Percebe-se uma confusão de interpretações. Veja:

    "Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias." (Mateus 15:18,19) Consumo de bebidas, tatuagens, piercings, relativismo religioso, subjetividade bíblica,roupas que valorizam a sensualidade de homens e mulheres, tudo isto procede do coração, consequentemente é pecado.

    Paulo disse:"SEDE meus imitadores, como também eu sou de Cristo." (I Coríntios 11 : 1)Temos que imitar a Jesus e não a este mundo corrompido que habita no maligno.

    "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." (Filipenses 4 : 8)

    "Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;" (Mateus 5 : 14)

    Como alumiarmos o mundo se andarmos nós mesmos em trevas? Como ser o sal da terra, fazer a diferença com nossas ações santificadas, se os indivíduos não perceberem que somos diferentes?

    "Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens." (Mateus 5 : 13)

    O NOSSO SABOR É OUTRO, O NOSSO PERFUME TAMBÉM!

    ResponderExcluir

Seus comentários nos ajudarão a crescer em graça e em conhecimento da palavra do Senhor.

Deixe seu comentário e que Deus continue te abençoando!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...